Motoristas de ônibus reclamam da falta de moedas para dar troco

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de ônibus do Rio (Sintraturb) denunciou que as empresas não fornecem aos rodoviários as moedas de R$ 0,05 para dar o troco aos passageiros. Com o reajuste da tarifa, na última quinta-feira (21/6), as passagens aumentaram de R$ 3,60 para R$ 3,95.

Conforme estabelecido em lei, na falta de troco, o motorista tem de baixar o preço da passagem. Com a ausência de moedas, os condutores reclamam que são obrigados a repor a diferença nos valores do próprio bolso. “Essa situação vem de muitos anos. Para não faltar dinheiro no caixa no fim do dia, arrecadamos troco entre os colegas. Se não tivermos dinheiro para repor, somos obrigados a assinar um vale”, explica William Barbosa, diretor do Sintraturb.

Segundo William, o sindicato negocia uma saída para o impasse, pedindo as empresas que repassem no início do trabalho, uma determinada quantia em moedas para os motoristas.  “Quando os trabalhadores dos supermercados abrem o caixa, pela manhã, recebem moedas, para dar troco. Isso é o correto”, comenta William.

A Secretaria Municipal de Transportes afirmou que a cobrança dos motoristas da diferença do troco é ilegal e deve ser denunciada ao órgão.

O Rio Ônibus, sindicatos das empresas do setor, disse que as viações estão se esforçando para arrecadar mais troco e que a falta de moedas é um problema nacional.

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.