Moradores de Santa Teresa querem a volta do bonde até o Largo das Neves

Passados sete anos desde o acidente que matou seis pessoas e feriu outras 56, o bonde de Santa Teresa ainda não voltou a operar no trajeto original. Para reivindicar a volta da circulação das composições até a Rua Paula Matos, moradores e comerciantes estão organizando para o próximo domingo (26/8) manifestação entre o Largo dos Guimarães e o Largo das Neves.

A programação começa com a missa pelas vítimas do acidente, às 11h, na Igreja Anglicana, Rua Paschoal Carlos Magno, 95. Das 13h às 17h, haverá coleta de assinaturas para o abaixo-assinado pela volta do bonde; e das 17h às 19h, será feito cortejo do Largo dos Guimarães ao Largo das Neves. A partir das 18h, no Largo das Neves haverá atividades culturais.

As composições cobriam 10 quilômetros – da Carioca até a estação Silvestre, próximo ao Corcovado, com ramificação no Largo das Neves. Atualmente o bonde só circula no trecho que vai da Carioca ao Largo dos Guimarães. Em julho, as obras foram retomadas, depois de mais de dois anos de paralisação, e vão reativar o trecho de 1,5 km que vai da Praça Odylo Costa Neto até o Largo do França (subida e descida). A intervenção deve durar quatro meses.

O presidente da Associação de Moradores de Santa Teresa, Paulo Saad, um dos organizadores do evento, disse que as obras estão avançando, mas é preciso ampliar o sistema. “Temos os problemas de logística de sempre e muitos transtornos, mas no domingo estaremos na rua pelo bonde”, afirma Paulo Saad.

Segundo a Secretaria de Estado de Transportes, nos sete primeiros meses de 2017, foram transportados cerca de 119 mil passageiros. No mesmo período deste ano, 164 mil pessoas utilizaram o sistema, representando um acréscimo de 38%. Ainda de acordo com o órgão, em virtude do aumento da demanda, o número de viagens praticamente dobrou em relação ao ano passado. Saltou de 6.533 (até julho de 2017) para 12.695 (até julho de 2018).

Foto: Setrans.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.