Paes e Witzel propõem aumentar a malha ferroviária no estado

Os candidatos ao governo do Rio, Eduardo Paes (DEM) e Wilson Witzel (PSC), apresentaram suas propostas para a mobilidade urbana fluminense, no primeiro debate do segundo turno. No encontro promovido pela Rede Bandeirantes e a Federação das Indústrias do Estado (Firjan) nesta quinta-feira (11/10) ambos disseram que têm intenção de aumentar a malha ferroviária no estado.

Eduardo Paes disse que aplicará recursos nas ferrovias, para transformá-las em linhas de metrô. “O transporte dos sonhos é o metrô, mas tenho tomado cuidado na campanha ao fazer promessas, dada a situação fiscal do estado. O ideal é pegar os ramais e fazer investimentos fortes. Isso se faz melhorando a qualidade dos trens, que transportam a maior parte da população”, explica Paes.

O ex-prefeito acrescentou que vai fazer a licitação das linhas intermunicipais, a exemplo do que fez na cidade do Rio. “No município, consegui implantar o bilhete único sem dar um subsídio aos empresários de ônibus. O ideal é equilibrar a tarifa do estado para que não tenha a necessidade de subsídios”, compara. Paes disse que investirá também em novas linhas do BRT, que, ao contrário do metrô, necessita de menos verbas para a construção. “É um transporte de média complexidade, que transporta muita gente”, argumentou o candidato do DEM. Paes lembrou que, na Prefeitura, fez quilômetros de VLT e de BRT. “Tenho certeza de que isso representou mudanças no cotidiano da população”, conclui.

Em resposta à mesma pergunta no debate, Wilson Witzel fez uma análise da mobilidade urbana no estado: “SuperVia sucateada, com estações totalmente depredadas; BRT sendo investigado, a pior solução para o transporte público no Rio foi o BRT”. A proposta do ex-juiz federal é implantar o metrô de superfície. “Faremos contratos de longo prazo, de 70 anos, 35 anos, blindados pelo Judiciário, que é música para os ouvidos dos investidores. Vamos trazer quase mil quilômetros de ‘Rio nos Trilhos’. Itaboraí, Niterói e são Gonçalo receberão o metrô de superfície nesse novo modelo de atração de investimentos”, afirma Witzel.

O candidato do PSC promete também tirar os projetos das barcas do papel, além de aumentar a malha ferroviária. “Vamos trazer a indústria dos trens para o Rio de Janeiro. Levar para Petrópolis e Teresópolis o trem de cremalheira e o transporte público de carga, de passageiros e de turismo de trem para a Região dos Lagos e Costa Verde, em um grande programa de investimento”, conclui.

Witzel lembrou o desabamento das pistas da ciclovia Tim Maia construída na gestão de Paes. “Mobilidade urbana, o candidato já se responsabilizou pela queda da ciclovia que matou duas pessoas. Esse tipo de obra a gente não precisa mais”, acusou.  No início da semana, Paes subiu o tom nas críticas contra o adversário, e o ex-juiz federal ameaçou dar voz de prisão em caso de injúria.

Foto: Redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.