Incêndio na Refinaria de Manguinhos complica o trânsito

O Corpo de Bombeiros informou, por volta das 16h, que as chamas do incêndio que atingiu parte da Refinaria de Manguinhos, na Zona Norte, já foram controladas. As equipes permanecem no local para fazer o rescaldo. Foram acionados dez quartéis do Corpo de Bombeiros, entre os quais, os do Caju, Benfica, Duque de Caxias e Alto da Boa Vista. De acordo com os bombeiros, o aviso sobre as chamas ocorreu às 13h40. O incêndio teria começado em caminhões-tanque que estavam descarregando no pátio. Não houve registro de vítimas, embora, uma pessoa tenha sido atendida pelos militares por inalação de fumaça.

Trânsito

A pista lateral da Avenida Brasil, em direção ao Centro, na altura de Manguinhos, que tinha sido fechada por causa do incêndio na refinaria, já foi reaberta ao tráfego.

Segundo o Centro de Operações Rio (COR), a ação de equipes do Corpo de Bombeiros continua na Avenida Brasil. Equipes da CET-Rio também estão no local para orientar os motoristas.

A recomendação do COR é optar pela Linha Vermelha, que já apresenta retenção entre o Galeão e São Cristóvão. Na Avenida Brasil, há lentidão em Parada de Lucas, Manguinhos e Caju.

O trânsito na via expressa também apresenta retenção no sentido Fundão, entre Del Castilho e o acesso à Avenida Brasil. No sentido Barra, há lentidão na passagem por Água Santa.

Os motoristas que saem de Parada de Lucas para Benfica devem optar pela Avenida Meriti, Avenida Pastor Martin Luther King Jr. e Avenida Dom Helder Câmara.

Quem sai de Irajá em direção a Benfica deve seguir pela Avenida Pastor Martin Luther King Jr. até a estação de Irajá, acessar a Avenida Monsenhor Félix, Rua Marambaia e Avenida Vicente de Carvalho para voltar para a Avenida Pastor Martin Luther King Jr. e, por fim, ir pela Avenida Dom Helder Câmara.

Sobre a refinaria

A Refinaria de Manguinhos, que recentemente adotou como nova marca o nome Refit, funciona há mais de 60 anos no refino de petróleo no Brasil. Hoje, a empresa atua principalmente na produção de gasolina A (sem adição de etanol anidro), produzindo cerca de 40 milhões de litros por mês.

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.