Empresa Estrela Azul encerra suas atividades nesta segunda-feira

Horas depois de os 400 rodoviários, da viação Estrela Azul, cruzarem os braços, por causa de atraso de salários, a empresa informou que fechará as portas, nesta segunda-feira (4/02). Esta é a 14ª empresa a fechar as portas desde 2015.

A Estrela Azul integra o consórcio Internorte e opera quatro linhas de ônibus que ligam às zonas Norte e Sul do Rio, e transportam 30 mil passageiros por dia. As linhas são a 292 (Engenho da Rainha x Castelo), 311 (Engenheiro Leal – Praça XV), 464 (Maracanã-Copacabana), 434 (Grajaú-Copacabana) e 435 (Grajaú – Gávea).

Em nota, o Rio Ônibus, sindicato das empresas do setor, disse que a Estrela Azul “empenhou todos os esforços para manter a operação nos últimos meses e não deixar a população desassistida, porém não suportou as dificuldades impostas pela grave crise financeira que afeta o sistema de transporte rodoviário de passageiros do Rio de Janeiro”, disse o sindicato. O Rio ônibus informou ainda que “os consórcios já acionaram o plano emergencial de contingência e estão trabalhando para suprir todas as linhas operadas pela empresa e evitar transtornos à população”.

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores do Rio de Janeiro (Sintraturb Rio) informou que entrará com uma ação de justa causa na Justiça contra a empresa para que os funcionários possam receber os atrasados.

No início de dezembro, os trabalhadores da empresa também cruzaram os braços. Segundo o vice-presidente do Sintraturb-Rio, José Carlos, o movimento realizado há dois meses foi uma advertência já que o acordo feito entre o sindicato e o Tribunal Regional do Trabalho para o pagamento de oito meses de salários atrasados em 24 parcelas não estava sendo cumprido. A direção da empresa chegou a pagar R$ 800 referentes à primeira parcela de R$ 1,2 mil do acordo, ficando de pagar o restante em seguida, mas não pagou.

Foto: Divulgação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.