Passageiros fazem protesto cobrando melhorias no BRT

Passageiros do BRT fizeram manifestação, por volta das 6h desta segunda-feira (18/03), na altura da estação do Mato Alto, em Guaratiba, no corredor Transoeste. Os usuários protestaram contra a possibilidade de paralisação do serviço, reclamam da superlotação dos coletivos, problemas no ar-condicionado, dos longos intervalos dos ônibus e das estações que estão fechadas porque foram depredadas.

Os manifestantes bloquearam a pista exclusiva do ônibus articulado e a pista comum. O tráfego ficou lento por volta das 6h40 e a PM reforçou o policiamento no local para evitar o fechamento da Avenida Dom João VI.

Às 9h15, o BRT Rio comunicou, pelas redes sociais, que o serviço voltou a funcionar após o término da manifestação na estação Mato Alto. Em nota, o Consórcio BRT informou que quatro ônibus articulados foram vandalizados durante o protesto — dois tiveram os pneus furados e outros dois, os vidros quebrados. “A depredação de veículos afeta, principalmente, o trabalhador que precisa usar todos os dias os corredores expressos para se deslocar. Um articulado fora de operação acarreta aumento nos intervalos dos serviços e, consequentemente, superlotação”, diz o informe.

Em entrevista ao Bom Dia Rio, o interventor do BRT Luiz Alfredo Salomão afirmou que existe a possibilidade de interrupção do serviço, que se encontra sem um representante legal no momento, o que impossibilita a realização dos repasses de verba pela prefeitura. Já o consórcio diz que a Prefeitura tenta fazer indicações políticas em cargos considerados técnicos para gerir o transporte. O consórcio criticou também a ação do interventor da prefeitura, que até agora não apresentou nenhum plano com prazos e metas estabelecidas para melhorar a situação no BRT.

Na entrevista, o interventor Luiz Alfredo Salomão, nomeado há dois meses, diz que o contrato com as empresas foi feito em 2010 e deram aos empresários o direito de explorar o BRT e que isso foi “uma fraude à lei e à Constituição”. Salomão disse também que foi criada uma comissão que vai elaborar um novo projeto para o BRT.

O interventor disse ainda, que na terça-feira vai se reunir com o secretário de Obras para decidir como isso vai ser contratado. E depois, provavelmente, vai licitar de novo o BRT, possivelmente no final do ano, trocando os operadores, que, segundo ele, se recusam a cooperar. Salomão disse também que vai nomear três pessoas para serem os representantes legais do BRT. Antes, segundo ele, só havia duas pessoas.

Quanto à qualidade dos ônibus propriamente dita, Salomão diz que já fez uma fiscalização em todas as garagens para ver os ônibus que estão operacionais e que vai fazer uma auditoria mecânica para saber por que alguns carros não estão circulando, para saber se eles têm problemas reais. Ou se isso faz parte de um locaute.

O advogado do consórcio, Bernard Fonseca, diz que até agora a intervenção não apresentou resultados práticos. Segundo ele, os empresários já se colocaram à disposição, mas nada foi apresentado, nenhum trabalho técnico ou relatório sobre as medidas que vão ser tomadas para a melhoria do sistema. E diz que isso preocupa porque a população pode vir a sofrer como uma eventual paralisação pela falta de repasse de dinheiro.

Foto: Divulgação BRT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.