Usuários de transportes estão insatisfeitos com o serviço

A pesquisa realizada pelo Blog Estação Rio, por meio de sua página nas redes sociais e por abordagem no Centro da cidade, em abril, apontou a insatisfação de 51% dos passageiros com a qualidade dos transportes públicos. A reclamação da maioria dos entrevistados foi a falta de segurança nos transportes. Eles consideram que em trens, metrô, ônibus e BRT há, em média, 74% de risco de assaltos em qualquer hora do dia ou da noite. De acordo com a pesquisa, as barcas são o modal mais seguro.

No total foram ouvidas 472 pessoas, que, além do item satisfação e segurança, avaliaram quesitos, como conforto, pontualidade, custo-benefício, limpeza, trajeto, valor da tarifa e manutenção. Ao final, os entrevistados atribuíram nota de 1 a 10 para o serviço.

Os entrevistados afirmaram viajar em cada um dos modais pelo menos uma vez por mês, separadamente ou usando a integração. Destes, 48% usam o ônibus ou BRT para a maioria dos seus deslocamentos; 21% andam de trem; 16%, de metrô; e 5%, de barcas.

No levantamento, o valor das passagens foi considerado caro para o serviço prestado pelas barcas, metrô, trens, BRT e ônibus. O índice de desaprovação do preço das tarifas chegou a 95%. Para 80%, a integração entre os modais poderia reduzir os gastos e aumentar o custo-benefício. Já o trajeto feito pelos modais foi aprovado por 51% dos usuários, que responderam à pesquisa.

Para 70%, o vandalismo, com calotes e depredações, afeta a qualidade do serviço, reduzindo investimentos em melhorias do sistema. As más condições das estações e passarelas foram criticadas por 51% dos passageiros. Para 30%, a má conservação é agravada pela sujeira. Segundo este percentual, a população deveria colaborar com a limpeza, não jogando lixo nos locais.

De acordo com 40% dos entrevistados, a manutenção dos coletivos e das composições é precária e a frota em operação é antiga. A falta de ar-condicionado instalado ou quebrado em todos os modais é a queixa de 51% dos usuários.  A superlotação foi criticada por 77% das pessoas que responderam à pesquisa, bem como os intervalos longos e atrasos frequentes em todos os modais, que impactam negativamente no conforto e pontualidade.

O metrô, apesar de ser o mais bem avaliado entre os modais, com nota 6,3, apresenta, para 26% dos entrevistados, problemas de superlotação, cobertura insuficiente da rede para atender à população, além de não fazer integração com outros modais. De acordo com 23% dos entrevistados, as barcas, que alcançaram nota 6, poderiam melhorar se operassem em intervalos mais curtos.

Nos trens, que receberam na pesquisa nota 4,2, a operação dos ramais de Saracuruna e Belford Roxo, com atrasos constantes e composições precárias, foi reprovada por 30%. Já a operação de outros ramais melhorou para 40% dos usuários.

Em relação aos ônibus e BRT, que obtiveram nota 3,4; as queixas de 51% foram a falta de ar-condicionado, má conservação dos veículos e intervalos longos entre os coletivos, principalmente na Zona Oeste.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.