Manifestação congestiona Linha Amarela

A Linha Amarela, no sentido Fundão, segue com retenções entre a Cidade de Deus e o pedágio, por causa de um protesto de mototaxistas, no início da tarde desta segunda-feira (27/05). No sentido Barra da Tijuca, a via apresenta lentidão do acesso da Linha Vermelha até Bonsucesso.

Uma faixa erguida pelos mototaxistas reivindicava o fim da cobrança do pedágio na ida e na volta. O grupo trafegou em marcha lenta, na pista em direção à Ilha do Fundão, provocando congestionamento na via. Um vídeo publicado nas redes sociais da página Onde tem Tiroteio mostra a movimentação dos motoqueiros saindo da Cidade de Deus. De acordo com a concessionária Lamsa, a praça do pedágio chegou a fechar por oito minutos. Entretanto, a concessionária lembrou que as motos são isentas de tarifas na via desde 1º de janeiro de 2017, por força do decreto 42.771, baixado pelo prefeito Marcelo Crivella.

Desentendimento entre Lamsa e Prefeitura

Prefeitura e Lamsa estão se desentendendo por causa dos termos da concessão. A cobrança no sentido Fundão foi suspensa por três vezes e, em seguida, restabelecida por liminar judicial.

Na última terça-feira (21/05), pela terceira vez, a Prefeitura suspendeu, por decreto, a cobrança para todos os veículos no sentido Fundão por 19 meses. A tarifa voltou a ser cobrada no dia seguinte, após a Justiça conceder uma liminar em favor da Lamsa. Na primeira vez, em que foi suspensa, a medida durou um dia. Na segunda, em fevereiro, por poucas horas.

A Prefeitura alega que a concessionária teria obtido uma receita maior do que a projetada no contrato de concessão ao deixar de realizar uma série de contrapartidas previstas no último aditivo do contrato. Na última liminar, porém, além de permitir a volta da tarifa, a Justiça proibiu a Prefeitura de suspender a cobrança por meio de decretos.

Crivella disse ser ’impressionante’ a liminar que determina que o pedágio, no sentido Fundão voltasse a ser cobrado. Segundo o prefeito, há pouco mais de um ano a Controladoria e a Procuradoria Geral do Município identificaram sobrepreço nas obras de 2010. Ele afirma que o desequilíbrio dos contratos atualmente equivaleria a R$ 250 milhões. O prefeito afirmou que vai recorrer da decisão pois, de acordo com ele, o município precisa do dinheiro de volta.

A tarifa básica para automóveis é de R$ 7,50 desde 16 de fevereiro, quando sofreu reajuste anual e aumentou R$ 0,30.

Foto: Linha Amarela /Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.