Motoristas de vans fazem carreata para cobrar melhorias

Condutores de vans fazem, na manhã desta terça-feira (18/06), carreata para cobrar promessas feitas pelo prefeito Marcelo Crivella (PRB) durante as eleições de 2016, de que iria criar um Sistema de Transporte Público Urbano Local (STPL) justo e melhor para a população.  Os manifestantes saíram em comboio, ainda de madrugada, em direção à Secretaria Municipal de Transportes, em Botafogo. Por volta das 10h, o grupo seguia para Avenida Atlântica, provocando a interdição de uma faixa da via, na altura do Leme.

O diretor do Movimento em Defesa do Transporte Alternativo (MDTA), Vitor Rodrigues, disse que tentou várias vezes um encontro com o prefeito, mas a categoria não foi recebida. Para Vitor, o maior problema dos motoristas é a Prefeitura não ter concluído o processo de licitação que começou em 2016, em que seriam emitidas 967 permissões e 828 para integrar o quadro de reserva. O Movimento reivindica também ajustes dos itinerários das linhas do STPL. Segundo Vitor, foram publicados editais com trajetos sem interesse para os usuários, e, por isso, economicamente inviáveis.

Outro ponto destacado pelos manifestantes é pedido de cancelamento das multas aplicadas por “fuga de rota”. Vitor explica que foram liberados pela Prefeitura itinerários paliativos para que os motoristas pudessem ter a receita normalizada. Nesse tempo iria ser feito um estudo para ser implantar os itinerários permanentes.  Os profissionais reclamam que muitas multas foram aplicadas mesmo após esse acordo.

Hélio Ricardo Souza, integrante do movimento, criticou o fato de a Fetranspor ser o órgão que gere as rotas das vans pelo sistema de GPS. Ele disse que a empresa que faz esse trabalho é a mesma que cuida dos ônibus, concorrente direta das vans. De acordo com ele, o resultado é que esse sistema só está servindo para fiscalizar e aplicar multas. Cada multa é de aproximadamente R$ 1.700.

O setor tem cerca de 2 mil permissões do STPL e 3 mil do Sistema de Transporte Especial Complementar de Passageiros (TEC), tendo mais de 42 mil trabalhadores cadastrados para atuarem no transporte alternativo legalizado, entre permissionários, motoristas auxiliares e cobradores. Ainda segundo o movimento, cada van representa uma permissão e cada permissão é composta de um permissionário, dois motoristas auxiliares e dois cobradores; além de profissionais que atuam indiretamente como fiscais de linhas, despachantes, documentarista e mecânicos, entre outros.

Foto: Centro de Operações Rio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.