Prefeitura diz que pode fazer nova licitação do contrato do VLT

A Prefeitura divulgou, por meio de nota, que caso não haja acordo com o VLT poderá fazer nova licitação do serviço. Segundo Crivella, o atual consórcio dá claros sinais de que não quer mais operar o sistema. Nesta quarta-feira (3/7) a concessionária entrou na Justiça, com o pedido de rescisão do contrato assinado, em 2012, com validade de 25 anos.  

O município argumenta que, pelo contrato assinado na gestão do ex-prefeito Eduardo Paes, o VLT deveria transportar 260 mil passageiros diariamente, mas hoje esse número é de 60 mil usuários por dia, devendo a Prefeitura arcar com a diferença de custos de 200 mil passageiros.

Crivella afirma que os pagamentos à concessionária só serão retomados quando houver um acordo que permita o equilíbrio financeiro da operação. O prefeito disse ainda que no novo contrato, não serão reproduzidas as cláusulas do atual contrato.

Nesta quinta-feira (4/7), a concessionária destacou que o pedido de rescisão contratual foi motivado por uma inadimplência da Prefeitura, que ultrapassa R$ 150 milhões. Segundo a companhia, a dívida é relacionada ao investimento feito para a implantação das linhas, que não tem relação com o número de passageiros transportados.

Os operadores destacaram que já se colocaram à disposição para revisar a demanda contratual em diversas oportunidades e que a proposta foi, inclusive, oficializada em carta, mas que não houve retorno.

A empresa disse também que desde dezembro tenta negociar com a Prefeitura pendências financeiras que impediam a circulação da linha 3, último trecho do sistema que liga a Central do Brasil ao Santos Dumont. “Sem chegar a um acerto, o VLT negociou com seus fornecedores e solicitou autorização para operar o trecho em 9 de maio. O pedido segue sem resposta, deixando passageiros e comerciantes da região desatendidos”, informa a companhia por meio de nota.

Segundo o VLT Carioca, 80 mil passageiros são transportados por dia e que esse número poderia chegar a 150 mil, com a entrada em operação da linha 3 e a reorganização de linhas de ônibus no Centro.

Foto: VLT/Alex Ferro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.