Nova controladora da Supervia vai priorizar melhoria do serviço

A Gumi Brasil, nova controladora da SuperVia, disse que vai priorizar a melhoria do atendimento ao usuário. De acordo com matéria publicada no Valor Econômico, a Gumi, principal acionista o grupo japonês Mitsui, quer implantar medidas para reduzir o calote e aumentar a segurança operacional. A concessionária mantém conversas com o governo do Rio para assegurar que sejam adotadas ações de segurança pública, para reduzir a violência e a invasão da malha ferroviária, além de combater o vandalismo nos trens e nas estações.

Os novos controladores também estão discutindo com o governo do Rio um novo planejamento para o sistema de transportes da região metropolitana, que reduza a concorrência entre modais, sobretudo linhas de ônibus e de trens. Segundo o diretor presidente da Gumi Brasil, e presidente do conselho de administração da Supervia, Gustavo Guerra, a ideia é redirecionar algumas linhas de ônibus para alimentar as composições. Um estudo apresentado em fevereiro pela Gumi ao governo indicou que a medida tem potencial de economia para o estado, com diminuição de subsídios concedidos por meio do bilhete único intermunicipal. Para Guerra, com um sistema eficiente, todo mundo acaba ganhando. De acordo com o diretor da Gumi, hoje existem linhas de ônibus extremamente longas, que poderiam ser mais eficientes se fossem mais curtas.

De acordo com o Valor Econômico, a Gumi garante que a redução do endividamento da concessionária, com o aumento de capital de R$ 780 milhões, vai propiciar investimentos de quase R$ 1 bilhão nos próximos dez anos, apenas com a geração de caixa do seu negócio. Guerra explica que, devido a uma série de dificuldades, nos últimos três anos, a Supervia só se preocupou com sua sobrevivência. Entretanto, a partir da reestruturação financeira, que diminuiu as dívidas de R$ 1,4 bilhão para R$ 900 milhões, a empresa vai conseguir priorizar a qualidade do serviço.

Foto: Divulgação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.