PM e Supervia apuram denúncia de abuso sexual em estação

Os dois jovens que denunciaram agressões e abusos sexuais na Estação Maracanã da Supervia vão depor nesta quarta-feira (10/07) na 3ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar. Segundo reportagem do RJTV2, os adolescentes de 17 e 18 anos culpam dois supostos PMs e quatro seguranças da concessionária de apontarem uma arma para eles e sob ameaça, obrigá-los a praticar sexo oral.  Os agressores filmaram tudo e divulgaram as cenas em redes sociais. O caso aconteceu no último domingo (07/07).

Os adolescentes contaram que foram abordados no trem por dois homens que se identificaram como policiais. Eles admitem que são usuários de droga e que iam comprar maconha na Mangueira.

Segundo relato dos jovens, eles foram tirados do vagão com violência e foram levados para trás da estação onde sofreram agressões, ameaças, abusos e humilhações. Ainda de acordo com as vítimas, seis pessoas participaram da sessão de tortura.

Um parente de uma das vítimas registrou queixa na 3ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar e, segundo nota da PM, “pelas imagens mostradas no vídeo não é possível identificar se são policiais militares” e que “diligências estão sendo realizadas para verificar se há envolvimento de policiais militares na ocorrência”.

A Supervia disse que o caso vai ser apurado com rigor para verificar se há envolvimento de funcionários ou empregados terceirizados. De acordo com a nota da SuérVia, “a concessionária abriu sindicância interna e está apurando com o rigor o ocorrido para tomar as medidas cabíveis. Caso seja constatada a participação de funcionários ou empregados terceirizados, todos serão desligados. Além disso, a empresa se coloca à disposição da polícia para auxiliar nas investigações”.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.