Jovens reconhecem dois PMs como autores de agressão

Os dois jovens, vítimas de abuso sexual, cometido na estação de trem do Maracanã, no último domingo (07/07), identificaram, nesta quarta-feira (10/07), por álbum de fotografia dois policiais militares como autores das agressões. Por meio de nota, a PM disse que “a 3ª DPJM, que investiga o fato, já está tomando as devidas providências para solucionar o caso”. Também nesta quarta-feira, a SuperVia identificou e demitiu dois seguranças que teriam participado do crime.

Segundo a denúncia dos jovens, seis pessoas estão envolvidas na sessão de tortura. Ambos prestaram depoimento nesta quarta-feira (10/07) na 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM), no Méier. Eles disseram que foram agredidos e obrigados a fazer sexo oral um no outro. As imagens foram divulgadas pelos agressores na internet.

O delegado Roberto Ramos, titular da 18ª Delegacia de Polícia (Praça da Bandeira), instaurou inquérito, para investigar o caso. De acordo com o delgado, os responsáveis pelos crimes podem responder por tortura, divulgação de imagens pornográficas e também por estupro. O delegado convocou os dois jovens e os seguranças da Supervia para prestar depoimento e vai analisar as imagens das câmeras de segurança da estação onde o abuso aconteceu.

O governador Wilson Witzel (PSC) cobrou investigação e punição dos responsáveis. “Não temos bandido de estimação, se é policial militar, se é civil, servidor público. Se for apurado que praticou alguma infração penal, vai ser apurado com rigor e vai ser levado a julgamento”.

Foto: Reprodução TV Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.