Witzel quer verba da Lava-Jato para concluir Linha 4 do metrô

O governador Wilson Witzel (PSC) fez um apelo a senadores e procuradores para que toda a verba devolvida para a Lava-Jato do Rio fique no estado. Witzel quer o montante para concluir a obra da estação Gávea, da Linha 4 do metrô. Ele espera que até R$ 1 bilhão retornem aos cofres públicos.

O juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, deu nesta terça-feira (10/09), um prazo de dez dias para que o Palácio Guanabara e a União informem se aceitam dividir, meio a meio, o dinheiro devolvido por 72 delatores, desviado de áreas como saúde, segurança pública e transportes.

TCE-RJ desmente Witzel

Nesta terça-feira, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) emitiu nota contrariando a versão, divulgada pelo governador de que o Palácio Guanabara “está impedido pelo TCE e pela Justiça” de investir recursos para terminar as obras da Linha 4 do metrô. À tarde, Witzel voltou atrás e afirmou que o impeditivo é uma ação movida contra o governo que proíbe o estado de “realizar empenhos, liquidações ou pagamentos à Concessionária Rio Barra S.A”.

Investigações começaram em 2016

As investigações, que resultaram na recuperação do dinheiro desviado, começaram a partir da prisão do ex-governador Sérgio Cabral na Operação Calicute, em novembro de 2016. As fraudes foram identificadas, por exemplo, na Secretaria estadual de Administração Penitenciária e em obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) de Favelas e do Arco Metropolitano.

O pedido de partilha entre a União e o estado foi feito pelo Ministério Público Federal em um documento enviado a Bretas e assinado por 12 procuradores.

Foto: Alerj/Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.