Usuários se mobilizam para barrar alteração na operação dos trens

O Movimento Meu Rio, rede de mobilização virtual, disparou campanha para impedir que o ramal Deodoro pare de funcionar mais cedo nos dias úteis. A SuperVia anunciou que, a partir de 1º de outubro, os serviços do ramal Deodoro serão encerrados às 21h. Depois desse horário, os passageiros serão direcionados para os trens dos ramais Japeri e Santa Cruz, que vão operar como paradores. Segundo o Meu Rio, com a alteração, as composições ficarão ainda mais lotadas e os trajetos mais demorados, com 13 paradas a mais.

A medida causa impacto na vida de milhares de pessoas que trabalham e estudam no Centro, mas moram na Zona Oeste e na Baixada Fluminense, que chegarão mais tarde em casa. Por isso, a entidade está mobilizando sua base de dados, com 300 mil pessoas, para barrar a mudança. A ação consiste em enviar e-mail, convidando as pessoas a assinarem petição para o presidente da concessionária, Antonio Carlos Sanches, com a mensagem: “Oi! Quero fazer parte da campanha para impedir que o ramal Deodoro seja encerrado mais cedo nos dias úteis”.

A ideia é coletar 5 mil assinaturas entre o dia 20 e o dia 30 de setembro. O Meu Rio explica ainda que está fazendo a coleta das assinaturas via WhatsApp, porque muitos passageiros não têm e-mail. “Essa foi a forma mais justa que encontramos para incluir todas as pessoas, usuárias ou não do trem, em uma ação coletiva solidária como esta”, conclui.

Leia na íntegra o texto do e-mail:

“Sou a Ully e moro em Campo Grande. Assim como milhares de pessoas, todos os dias fico mais de 2h no trem para chegar no trabalho e outras 2h para voltar pra casa. As condições em que faço essas viagens são inaceitáveis para qualquer pessoa.

Mas nada é tão ruim que não possa piorar: a Supervia decidiu fechar o ramal de Deodoro mais cedo (às 21h) e direcionar os passageiros para os ramais Japeri e Santa Cruz, que farão 13 paradas a mais. Os trens ficarão ainda mais lotados e os trajetos ainda mais longos.

Precisamos agir com força para impedir essa mudança no ramal de Deodoro. Ela está prevista para acontecer a partir do dia 1º de outubro.

Por isso, temos menos de 10 dias para coletar 5 mil assinaturas e mostrar a Antonio Carlos Sanches, novo chefe da concessionária de trens, que não aceitaremos mais esse tipo de decisão e tratamento. Topa me ajudar a tornar a Supervia um transporte mais digno para seus passageiros?”

Agetransp e Alerj cobram explicações da SuperVia

A SuperVia explica que a definição é um ajuste operacional e que não haverá alteração no intervalo entre os trens. A empresa destaca que os avisos sobre a mudança são divulgados no site da empresa.

O presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa, deputado Dionísio Lins (PP), pediu nesta segunda-feira (23/09) explicação ao presidente da Supervia, Antônio Carlos Sanches, sobre o encerramento das atividades do ramal Deodoro uma hora mais cedo. Sanches tem até 48h para apresentar posicionamento sobre a alteração na linha que atende, diariamente, milhares de moradores da Zona Norte e do Centro. O parlamentar justifica que a empresa não pode mudar os horários por conta própria.

A Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos de Transportes do Estado do Rio (Agetransp) informou que o Conselho Diretor da agência irá se reunir para avaliar a mudança. A entidade irá discutir os impactos na operação dos ramais Santa Cruz, Japeri, Deodoro e Belford Roxo.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.