Passageiros e motoristas sofrem com calorão nos ônibus

Com 25% dos coletivos sem climatização e outros que circulam com o ar-condicionado quebrado, o carioca enfrenta um calorão de mais de 40 graus nos seus deslocamentos. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, circulam na cidade 5.955 ônibus, considerando os carros convencionais e executivos, além dos BRTs. Desse total, 4.008 veículos e 614 frescões são refrigerados.

Apesar desses números, passageiros reclamam de linhas que não têm um só carro climatizado. A auxiliar de escritório Maria José de Lima afirma que já passou mal de tanto calor em um ônibus da linha 254 (Madureira-Candelária). Ela conta que mora no Engenho Novo e pega o 254 todos os dias, há dois anos, para ir e voltar do trabalho no Centro. “Nesse período não peguei um só ônibus com ar-condicionado. Outro dia, quase desmaiei de tanto calor. Não sei como os motoristas aguentam”, revela Maria José. 

Usuários também se queixam da linha 679 (Méier-Grotão). “Nem adianta abrir as janelas porque o ar é muito quente. Pagamos a mesma passagem das linhas climatizadas e passamos calor”, critica Olinda dos Santos, moradora da Penha.

Carros que rodam com o ar-condicionado quebrado são um tormento para os passageiros. A secretária Sílvia Maria de Souza, moradora de Santa Teresa, comenta que nos ônibus da linha 014 (Paula Matos-Castelo) a climatização só funciona no inverno. “Nos dias de temperatura mais alta, não tem refrigeração. Parece que o equipamento não dá conta do calorão”, justifica Sílvia.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Transportes esclareceu que os carros não são exclusivos das linhas 679 e 254 e circulam em outras áreas de responsabilidade da empresa. “Por isso, não é possível informar o número preciso de carros climatizados das duas linhas citadas”, diz o texto.

Meta foi adiada para 30 de setembro

A sete meses do fim do prazo estabelecido entre a Prefeitura e os empresários de ônibus para climatizar 100% da frota, 75% dos carros estão refrigerados. O percentual é 5% menor do que o estipulado no acordo firmado em 2018, no qual 80% dos veículos deveriam estar climatizados desde o fim do ano passado.  Segundo o contrato, que prevê a refrigeração gradativa da frota, em junho deste ano, o total de coletivos equipados com ar-condicionado tem de chegar a 90%. E, em 30 de setembro, a 100%.

A secretaria informou que está atenta aos serviços prestados pelos consórcios e segue acompanhando o cumprimento do termo de compromisso e que, em caso de desrespeito, aplicará as sanções previstas.

Climatização na mira da Justiça

Inicialmente, o prazo para a refrigeração dos coletivos era 31 de dezembro de 2016. Sem que a meta fosse executada, em 2015, foi cobrado R$ 0,20 a mais na tarifa acima do reajuste. O descumprimento do acordo está na mira do Ministério Público do Estado do Rio, que pediu intervenção da Justiça para acelerar o processo de climatização. A Justiça nomeou um gestor independente para coordenar os trabalhos com a Prefeitura e as viações.

Questionamos o sindicato dos empresários de ônibus, Rio Ônibus, sobre o cumprimento do prazo de refrigeração total da frota até o dia 30 de setembro de 2020, mas não obtivemos resposta.

Foto: divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.