Após fortes chuvas, seis casas desabam no Jardim América

Seis casas desabaram e uma foi interditada na manhã desta terça-feira (03/03), na Rua Rodolfo Chambelland, na altura do número 62, no bairro Jardim América, na Comunidade do Ficap. Ninguém ficou ferido. A região foi bastante afetada pelas chuvas e é cortada pelo Rio Acari. De acordo com os bombeiros ainda não há informações sobre vítimas. Por causa do desabamento, há interdições na via, altura da Rua Professor Costa Ribeiro.

Cinco pessoas morreram durante o temporal que atingiu a cidade neste fim de semana. Além do desabamento no Jardim América, até as 10h30, equipes da prefeitura atuavam em 13 ocorrências relacionadas à chuva: bolsões de água em Realengo, Muzema e em outros oito pontos da Zona Oeste; deslizamento de terra no Tanque; e deslizamento de pedras em Campo Grande.

O Rio retornou ao estágio de atenção às 8h45 desta terça-feira. De acordo com o Alerta Rio, houve redução dos acumulados de chuva nas últimas horas e não há previsão de chuva forte para esta terça-feira. A máxima prevista é de 28 graus. 

Ocorrências até a segunda-feira

A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil recebeu das 20h30 de sábado (29/02) até a segunda-feira (02/03), 604 chamados, sendo os principais por desabamento de estrutura, ameaça de desabamento de estrutura, deslizamento de barreiras e encostas e imóveis com rachadura e infiltração. Os bairros de maior demanda são Realengo (105 ocorrências), Taquara (54), Campo Grande (39), Bangu (31), Deodoro (21) e Tijuca (21). Foram registradas 54 interdições emergenciais.

Em ação integrada, a Defesa Civil, a Comlurb, e a Coordenadoria de Fiscalização e Reboques (Cfer) já auxiliou, desde domingo, na retirada de 41 automóveis que foram arrastados pelas águas nos pontos mais atingidos pelas fortes chuvas, principalmente em Realengo, Bangu e Taquara, na Zona Oeste. Os carros – que estavam atolados, amontoados ou foram encontrados em rios – foram realocados para pontos seguros, liberando a via para a circulação do trânsito e pedestres. Uma retroescavadeira da Comlurb está sendo usada na operação, que continuará nesta terça-feira.

Nesta segunda-feira, foram desligadas as 30 sirenes das 16 (das 103) comunidades de alto risco geológico que estavam ativas desde a madrugada de domingo, dia 1º. São elas: Rocinha, Alemão, Joaquim de Queiroz, Morro da Fé, Rua Frey Gaspar, Nova Brasília, Palmeiras, Parque Alvorada, Cariri, Vila Cruzeiro, Rua Mirá, Adeus, Piancó, Sítio Pai João, Comandante Luiz Souto e Espírito Santo. As localidades são monitoradas 24 horas pelo sistema de alertas sonoros da cidade, que é acionado quando o índice pluviométrico atinge protocolos de desocupação preventiva.

Foto: Centro de Operações Rio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.