Crivella vai intensificar fiscalização para evitar superlotação

Em entrevista coletiva, na manhã desta quinta-feira (19/03), sobre as ações no combate ao coronavírus, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, informou que intensificará a fiscalização no BRT para que os passageiros não viagem em pé. Para isso, Crivella quer a alteração na escala da Guarda Municipal, de 18 h por 60 h para 12h por 36 h. “Com a mudança, teremos grande aumento do efetivo da Guarda Municipal, e poderemos colocar equipes em cada estação do BRT para fiscalizar se estão ficando cheios ou não”, disse o prefeito. O projeto precisa ser aprovado pela Câmara Municipal.

Depois da votação do projeto em regime de urgência pelos vereadores, o Prefeito disse que haverá fiscais da Secretaria Municipal de Transportes em cada uma das 36 garagens do BRT, para garantir que todos os articulados estejam em circulação. Crivella informou também que os guardas municipais serão acompanhados por PMs na fiscalização nas estações.

“Se nada disso adiantar, vamos suspender o BRT por 24 horas, prazo que pode ser estendido”, disse Crivella. Ele também anunciou a suspensão do cartão RioCard de alunos da rede pública de ensino: “As aulas estão suspensas. Então, não faz sentido que continuem usando os cartões para circular de ônibus. A partir de hoje, eles não serão mais aceitos.”

Segundo Crivella, é melhor para a cidade se os coletivos circularem quase vazios. “O motorista terá a autoridade para parar o ônibus e pedir para os passageiros excedentes desceram”, destacou o prefeito.

Governo do estado

O governo do RJ decidiu ampliar as restrições no transporte intermunicipal no estado e “isolar” o Município do Rio, onde havia 55 casos de coronavírus até a manhã desta quinta (19/03). Uma reunião na tarde desta quinta-feira, vai debater as medidas e estudar exceções, como o deslocamento de profissionais da saúde. A medida não só proibiria ônibus e vans de circular, como também afetaria as barcas que ligam o Rio a Niterói e os trens da Supervia.

Outras medidas da Prefeitura do Rio

Sobre aglomerações nas praias, o secretário de Ordem Pública, Gutemberg Fonseca, anunciou que começa hoje uma operação em toda a orla do Rio para fechar os quiosques. “Percebemos que eles continuam lotados e com música ao vivo à noite. As recomendações não surtiram efeito. Então, começamos hoje a operação para fechar todos os quiosques, do Leme ao Pontal”, anunciou o secretário. As boates estão proibidas de funcionar.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.