Após queda na circulação, BRTs e trens continuam lotados

A Prefeitura divulgou dados que mostram a diminuição da circulação dos transportes na cidade. Painel desenvolvido pelo Centro de Operações Rio (COR), mostra queda de até 87% de frequência nos meios de transporte da cidade, desde 16 de março.

Entretanto, os flagrantes e reclamações de trens e BRTs lotados, intervalos irregulares continuam nas redes sociais. “Até entendo a explicação dada das estações terem maior movimentação de passageiros, mas eu pego todo dia BRT com superlotação e, por incrível que pareça, não embarco em nenhuma dessas citadas (de maior movimento”, contestou uma internauta. No caso dos trens, outra internauta disse: “Vocês não estão preocupados com aglomeração de pessoas e muito menos com as medidas de segurança. Estão querendo super faturar e evitar gastos em um momento delicado como esse. Aproveitadores! Chega de teste, precisamos de mais trens com intervalos menores”, critica.

De acordo com a ferramenta, o VLT foi o meio de transporte com maior redução de uso, com 87% a menos de usuários. O metrô, 83%, e o BRT, 73%, aparecem em seguida. As barcas apresentaram queda de 71% de circulação, enquanto os ônibus de linha registraram redução de 67%. Os dados comparam o número de usuários de quarta-feira (14/04), com a semana anterior a restrição nos transportes (16/03).

Número de acidentes tem queda

O número de acidentes nas vias da capital também caiu. Até esta quarta-feira (14/04), a redução era de 85%. Com poucos carros nas ruas, o trânsito está menos congestionado. Antes do início da quarentena, em dias de semana, o pico de congestionamento no horário de rush podia chegar a 149 km, em toda a cidade. Atualmente, o máximo de engarrafamentos é de cinco quilômetros. Segundo o COR, uma redução de aproximadamente 96%.

O Painel de Mobilidade do COR concentra informações de todos os principais meios de transporte e do trânsito. Os dados são coletados desde o dia 16 de março, quando foram aplicadas as medidas de quarentena na cidade e restrição no transporte.

Foto: Divulgação Prefeitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.