Pacientes terão livre acesso nas barreiras para buscar remédios

Moradores de outras cidades que precisem retirar medicamentos na Rio Farmes e em farmácias públicas poderão ter livre acesso nas barreiras montadas entre os municípios. Essa permissão será solicitada pelo deputado Dionisio Lins (Progressista), na Assembleia Legislativa, nesta sexta-feira (24/04) por meio de Indicação Autorizativa. O pedido será encaminhado ao governador Wilson Witzel. O parlamentar explicou que com a apresentação da Indicação Autorizativa, não haverá necessidade de votação em plenária.

Para ter o trânsito liberado, os pacientes de outros municípios que se deslocam, em táxis, barcas ou em ônibus terão de apresentar o pedido médico ou a carteira de portador de doença controlada.

Para Dionísio Lins, proibir a circulação de pessoas apenas para o lazer é mais do que louvável, mas essa decisão não pode ser aplicada para aquelas que precisam buscar em outros municípios medicamentos para cuidar de sua saúde ou de seus familiares. “É muito importante fazer com que os agentes que estejam no controle dessas barreiras façam uma triagem antes de proibir a circulação de pessoas, para que possam identificar a real necessidade e prioridade de cada uma delas”, acrescentou.

Atualmente, têm livre acesso às barreiras trabalhadores em serviços essenciais e pacientes em tratamento de saúde, com um acompanhante, desde que estejam com atestado médico, agendamento ou outro documento que comprovem a condição médica.

Pontos de controle de acesso

Nos trens, foram montados bloqueios nas estações, que estão abertas: Ramal Japeri – Japeri; Engenheiro Pedreira; Queimados; Austin; Comendador Soares; Nova Iguaçu; Mesquita; Edson Passos; Nilópolis; Ramal Belford Roxo – Belford Roxo; Pavuna; São João de Meriti; Ramal Saracuruna – Saracuruna; Gramacho; Duque de Caxias; e Corte Oito

No metrô, há barreiras nas estações da Pavuna, Engenheiro Rubens Paiva, Acari e Fazenda Botafogo.

No sistema aquaviário, o bloqueio é feito na estação Araribóia, em Niterói.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.