Agetransp notifica Metrô Rio para que o serviço não pare

A Agência Reguladora dos Transportes Públicos do Estado (Agetransp) notificou o Metrô Rio para que não interrompa o serviço. A concessionária informou o estado sobre desequilíbrio financeiro causado pelo prejuízo sofrido com a queda no número de passageiros durante a pandemia. O aviso da notificação foi publicado no Diário Oficial de segunda-feira (03/08). “A Agetransp vai notificar o Metrô Rio para que o serviço não seja interrompido. E o estado (poder concedente) deve adotar medidas para assegurar a continuidade em até cinco dias”, diz o texto.

A Agetransp diz que “a decisão do Conselho Diretor proíbe as concessionárias Metrô Rio e Supervia de suspenderam unilateralmente a prestação dos serviços aos usuários dos transportes do Rio de Janeiro. Pelo contrato em vigor, as empresas têm a obrigação de manter a continuidade dos serviços”.

Com desequilíbrio nas contas, a concessionária informou ao estado sobre a situação eminente de colapso no transporte. De acordo com o Metrô Rio, só há dinheiro para cobrir os gastos deste mês de agosto e que pode interromper a operação em setembro.

Com 80% de queda diária no transporte de passageiros – menos 18,6 milhões de embarques por mês – o Metrô Rio tem tido prejuízo mensal de cerca de R$ 35 milhões desde o início da pandemia.

O mesmo acontece com os trens da Supervia, que correm o risco de parar até o final deste mês.

O governo do estado informou que tem mantido agendas constantes com representantes do setor, com diferentes estados do país que também enfrentam a mesma crise e com o governo federal para garantir verba federal para socorrer os modos de transportes, que alegam caixa disponível apenas até agosto.

A Secretaria estadual de Transportes diz em nota que acredita que uma saída seja o Projeto de Lei, que deverá ser votado esta semana na Câmara, em Brasília, que destina recursos públicos à mobilidade urbana nas cidades das regiões metropolitanas com mais de 350 mil habitantes. “Vale ressaltar que a liberação desse recurso está condicionada à apresentação de iniciativas para melhorar o controle e dar maior transparência às atividades de mobilidade urbana”, diz a Setrans.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.