Estação 31 de Outubro do BRT pega fogo na Av. Cesário de Melo

Um incêndio ocorrido na manhã desta terça-feira (13/10) destruiu o que restava da estação 31 de outubro, no corredor Transoeste. O Corpo de Bombeiros foi acionado e as chamas já foram apagadas. Não houve feridos. As causas do incêndio ainda serão apuradas.

A estação 31 de outubro é uma das 20 estações do eixo da Avenida Cesário de Melo que estão desativadas desde 2018 por causa da violência na região e atos de vandalismo.

Estações vandalizadas no feriadão

Na madrugada desta segunda-feira (12/10), a estação Olof Palme, no corredor Transolímpica, foi depredada e furtada. Os bandidos arrombaram a bilheteria e levaram fios, disjuntores e o bebedouro do local. Só de cabos elétricos foram furtados 800 metros, comprometendo iluminação, catracas e portas.

No domingo, o ataque ocorreu no corredor Transcarioca. Os criminosos levaram os circuitos de iluminação e de portas da estação Centro Metropolitano. Recentemente, o local havia recebido melhoria no seu sistema de iluminação.

No sábado, foram furtados cabos elétricos da estação Boiúna, no corredor Transolímpica.

Desde abril, cerca de 100 estações foram vandalizadas e/ou tiveram seus equipamentos furtados. Atualmente, o BRT Rio tem um total de 32 estações fechadas por causa desses crimes.

PM prende dois homens por furto na estação Ilha Pura

Acionados na madrugada do último sábado (10/10) pela equipe de monitoramento do Centro de Controle Operacional do BRT Rio, policiais militares do Programa Estadual de Integração de Segurança (Proeis) prenderam dois homens furtando equipamento da estação Ilha Pura, no corredor Transolímpica. Eles foram levados para a 16ª DP (Barra da Tijuca). No início da semana passada, um outro homem, que agia com a dupla, havia sido detido. Os três são suspeitos de praticar furtos em várias estações do corredor Transolímpica do BRT.

Este ano, 74 pessoas foram presas pelos agentes do Proeis em estações dos três corredores do BRT Rio. Furtos de cabos elétricos e equipamentos – televisores, bebedouros, ar condicionado e catracas – representam a maior parte das detenções.

Foto: Divulgação BRT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.