CPI vai apurar irregularidades no transporte de Campos

O vereador Thiago Rangel (PROS) protocolou na Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). O objetivo é apurar possíveis irregularidades, desvios e até supostas fraudes em contratos no transporte público da cidade durante a gestão do ex-prefeito Rafael Diniz. A proposta do parlamentar é investigar atos de Felipe Quintanilha enquanto esteve à frente do Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT).

“O pedido conta com 15 assinaturas e o apoio da população, que precisa ficar ciente das ações cometidas durante essa gestão”, acrescenta o parlamentar. Thiago Rangel criticou ainda a forma de gestão de Quintanilha e garantiu que o desmonte dos terminais, que na verdade eram tendas de plástico improvisadas, a toque de caixa na última semana de governo, foi com certeza uma destruição de provas.

 “Uma verdadeira covardia cometida por uma pessoa que acredita ser um gestor e que pode ficar impune. A CPI vai responsabilizar todos aqueles que estiveram ou estão envolvidos, e que por muitos anos deixaram na mão os usuários do município”, afirmou o parlamentar.

Thiago Rangel lembra ainda que terminais ou puxadinhos improvisados eram de péssima qualidade e pagos com dinheiro público; além disso, o contrato determinava o fornecimento de um serviço melhor do que foi oferecido.

“Não tenho dúvida que o desmonte foi uma maneira de não se deixar prova de que estava havendo descumprimento do contrato original. Vamos apurar com rigor e pedir a punição dos culpados e o ressarcimento dos valores aos cofres públicos. O que não pode é o contribuinte pagar por uma conta que não é sua – explicou.

 Deputado vai cobrar explicações

A denúncia de que a empresa Billing Play, criada apenas um mês antes da realização da licitação para controlar toda a venda de passagens no município de Campos sair vencedora do certame, chamou a atenção do deputado estadual Marcus Vinícus (PTB). Diante disso, ele encaminha nesta quinta-feira (14/01) para a prefeitura de Campos, requerimento de informações em que solicita o número de empresas que participaram da licitação, o valor do contrato e de como é feito o repasse de valores para a empresa. O parlamentar quer saber também qual o gasto com a implantação dos chamados “terminais de parada”, os critérios adotados para a escolha da empresa vencedora e o endereço e contato dessa empresa. “Usuários, empresários e permissionários afirmam que no endereço fornecido funciona um escritório de advocacia e uma empresa de móveis, mas com sócios diferentes e sem nenhum vínculo com a empresa contratada”, justifica o deputado.

Segundo o parlamentar, é preciso que essas dúvidas sejam esclarecidas o mais rápido possível. “A Billing Pay vai ficar com 4,5% do valor das passagens e abocanhar todo mês um valor de R$ 180 mil; tudo feito em um contrato que traz uma cláusula de confidencialidade”, aponta.

Ainda de acordo com Marcus Vinícus, também existe denúncia de que dirigentes do Instituto Municipal de Trânsito e Transportes (IMTT) foram beneficiados com concessões de linhas e a falta de autorização para a instalação de terminais. “Queremos também saber os motivos que estão impedindo que a empresa de bilhetagem eletrônica RioCard Mais, que atua em Campos há mais de 12 anos, não consegue participar desse novo modelo de transporte, mesmo com toda a documentação e preço mais barato para as empresas de ônibus e usuários”, explica o deputado. Isso sem falar, segundo ele, da enorme dificuldade em quebrar a barreira imposta pela prefeitura e obter junto ao IMTT a homologação necessária para operar. “Essas perguntas não podem ficar sem respostas”, disse.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.