Alerj cria força-tarefa para acompanhar intervenção no BRT

O anúncio recente da Prefeitura de que fará uma intervenção para melhorar as condições de uso do BRT em todas as calhas deu esperança aos milhares de usuários que diariamente utilizam o serviço. Diante disso, o deputado Dionísio Lins (PP), presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), decidiu criar uma força tarefa dentro da comissão para acompanhar de perto o que será proposto pelo Executivo e verificar as futuras mudanças.  “Já tivemos uma intervenção no governo anterior que durou seis meses e ao final resultou apenas em um relatório mostrando o que a população já sabia”, lembra o parlamentar.

As imagens do BRT, que circulam pela mídia, assustam e comprovam que a população está entregue a própria sorte na ida e a volta do trabalho. Para Dionísio Lins, com a encampação, a prioridade é a de se reforçar a fiscalização nas plataformas de embarque, evitando assim aglomerações em um momento crítico da pandemia. Ele vê também a importância da realização de uma Parceria Pública Privada (PPP), para investir e assegurar uma nova gestão do BRT, já que é de opinião dos usuários que o sistema se encontra hoje totalmente falido.

“Não adianta nesse momento fazer e praticar populismo. Temos, sim, é que investir no BRT e demais modais. Vale lembrar que o BRT foi criado pelo atual prefeito para servir a população. Ele precisa de gestão, mas de uma gestão de investimento”, destaca Dionísio.

Segundo o parlamentar, é do conhecimento de todos que hoje apenas 40% dos usuários pagam passagem, e os 60% restantes são de gratuidade e, principalmente, de pessoas que invadem as plataformas para viajar de graça. “O pior é que acabam ocupando o assento daqueles que pagaram a passagem. Tudo isso acontece devido a ineficácia de uma segurança e fiscalização que já vem de longo tempo”, analisa o deputado.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.