Prefeitura determina que empresas rodem com a frota completa

Após passageiros reclamarem do longo tempo de espera e de ônibus mais cheios, a Prefeitura determinou que as empresas rodassem com a frota completa a partir desta quarta-feira (31/03) até sexta-feira (02/04).

A razão dos longos intervalos foi a determinação da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), que permitiu a redução de 20% dos coletivos em circulação durante o feriadão emergencial para conter o avanço da Covid-19. A pasta suspendeu a medida depois de constatar que a diminuição dificultou a vida dos usuários.

O presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa do Estado do Rio, deputado Dionísio Lins (PP), disse que vai oficiar nesta quarta-feira (31/03) a Secretaria Municipal de Transportes, para pedir esclarecimentos sobre o motivo e baseado em que estudo autorizou a redução da frota de ônibus.

De acordo com Dionísio Lins, os decretos do governador e do prefeito tem a finalidade reduzir o número de pessoas nas ruas, mas muitas delas trabalham em locais essenciais e utilizam o transporte público para se locomoverem.

“A diminuição dos coletivos traz constrangimentos para os usuários, que ainda continuam sendo transportados como se fossem latas de sardinha. Reduzir a frota é como trocar seis por meia dúzia. Nesse momento o importante é que a oferta seja maior que a procura, evitando assim as aglomerações que vemos diariamente nos pontos e plataformas. Até quando os usuários serão tratados como gado? – indagou o parlamentar.

Foto: divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.