Alerj discute gratuidade em trens para corrigir perdas de usuários

A possibilidade de gratuidade nas passagens de trens da Supervia para compensar a população pelos transtornos causados pela retirada de 40 trens de circulação foi levantada por parlamentares na Assembleia Legislativa do Estado (Alerj) nesta quinta-feira (21/11). Deputados, representantes da Supervia, da Agetransp e o secretário estadual de Transportes Delmo Pinho participaram de audiência para discutir as medidas que amenizem impactos aos usuários.

A defensora Patrícia Cardoso, coordenadora do Núcleo de Defesa do Consumidor, disse que uma das propostas pode ser o abatimento na tarifa, que hoje é R$ 4,60. A deputada estadual Enfermeira Rejane (PCdoB) argumentou que a cobrança das passagens deveria ser suspensa até que a Supervia fizesse a regularização do serviço com a reposição da frota de trens.

Já Sônia Antunes, representante da Supervia, discorda:

— O serviço não deixou ser prestado. Está irregular, mas não creio que a solução seja a gratuidade. Podemos pensar em outras formas de compensação — afirmou Sônia.

Está marcada para esta sexta-feira (22/11) uma reunião entre a Defensoria Pública do estado e a Supervia para discutir formas de compensação para os usuários.

Comissão recém-instalada vai avaliar serviços prestados pelas concessionárias SuperVia e Metrô Rio
Hoje também foi instalada na Alerj uma comissão especial que vai avaliar os serviços prestados e os contratos da SuperVia e do Metrô Rio. A deputada Lucinha (PSDB), presidente da comissão, antecipou que o grupo vai analisar os valores das tarifas; verificar a estrutura das estações – principalmente se há acessibilidade – e ouvir representantes das empresas que detém os consórcios.

“Já foi acordado com o presidente da Casa, deputado André Ceciliano (PT), que se as empresas se negarem a comparecer à reunião ou não entregarem documentos solicitados nós vamos transformar a comissão especial em uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que tem competência para convocar os envolvidos. A população já vem sofrendo há muito tempo e continuamos assistindo diversos problemas e nenhuma medida para solucionar essas questões. A comissão vai brigar por melhorias”, informou a deputada, citando que usa diariamente os trens e metrôs da cidade para chegar à Alerj.

Durante o encontro também foram eleitos como vice-presidente o deputado Gustavo Tutuca (MDB) e como relatora a deputada Monica Francisco (PSol). Ainda compõem a comissão a deputada Alana Passos (PSL) e os deputados Giovani Ratinho (PTC) e Val Ceasa (Patriota).

Para a próxima reunião serão convidados o secretário da Secretaria de Estado de Transportes (Setrans), Delmo Manoel Pinho, e representantes da Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio (Agetransp).

“Primeiro vamos ouvir essas instituições e em seguida começar as oitivas. A população não pode ficar à mercê dessas empresas. Os passageiros pagam as passagens, mas não estão tendo retorno no serviço”, concluiu Lucinha.

Imagem: Reprodução Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.