Prefeitura pede à Justiça reabertura da Avenida Niemeyer

A Procuradoria Geral do Município (PGM) do Rio de Janeiro foi à Justiça pedir a reabertura da Avenida Niemeyer. Com o argumento de que as obras emergenciais já foram concluídas na via, a PGR, solicitou no dia 10 de janeiro à 3ª Vara de Fazenda Pública a suspensão da medida liminar que fechou a avenida em 28 de maio do ano passado. De acordo com a Procuradoria, estão afastados os riscos de escorregamento das camadas superficiais da encosta – fato comprovado nos últimos dias de chuva, quando a Avenida Niemeyer mostrou-se segura após as intervenções realizadas. “Tivemos dias de fortes chuvas este ano sem qualquer ocorrência. Isso demonstra a segurança da via e a efetividade das nossas intervenções”, assinala o secretário municipal de Infraestrutura, Habitação e Conservação, Sebastião Bruno.

Na petição, a PGM também destacou decisão judicial de 31 de maio de 2019, afirmando que a medida liminar “poderá ser revista diante da comprovação por parte do Município da conclusão das obras de limpeza e recuperação das áreas de escorregamento e prevenção de novos acidentes, de forma que tais áreas deixem de oferecer risco à população”.

Segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura, Habitação e Conservação (SMIH), as obras emergenciais feitas pela Prefeitura na via já foram concluído, com investimentos de mais de R$ 34 milhões em 56 pontos de intervenções ao longo de toda da avenida até a comunidade do Vidigal.

Ainda segundo a SMIH, entre as obras realizadas estão a colocação de drenos profundos, o restabelecimento do sistema de drenagem, a eliminação de contribuição de esgoto e a instalação de muros de contraforte, telas grampeadas, chumbadores e cortinas atirantadas.  Na última quinta-feira (17/01), a Secretaria instaurou Comissão de Monitoramento e Avaliação de Encostas da Avenida Niemeyer, que atuará de forma permanente.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.