Passageiros reclamam de lotação e tempo de espera dos transportes

Com a reabertura gradual dos serviços e atividades no Rio, passageiros do BRT e dos trens enfrentam conduções lotadas, na manhã desta quarta-feira (10/06). Mesmo com o afrouxamento das medidas restritivas, a determinação dos governos municipal e estadual continua sendo de que os transportes públicos circulem apenas com passageiros sentados, para evitar o contágio do coronavírus.

Os trens do ramal Santa Cruz circulavam cheios no sentido Central do Brasil. A Supervia informou que toma todas as providências para respeitar o limite de ocupação de 50% e que os usuários estão sendo orientados a não embarcar em trens mais cheios e a aguardar a próxima composição.

A concessionária fez mudanças na operação, isolando o ramal Japeri em uma linha separada e juntou o ramal Santa Cruz com Deodoro. Segundo a empresa, a medida resultou em 522 mil lugares a mais por dia, principalmente nos horários de pico. Entretanto, os usuários reclamaram que, as alterações aumentaram o tempo de viagem porque o ramal Santa Cruz deixou de ser expresso e passou a ser parador para atender às antigas estações do ramal Deodoro. “Não basta só acabar com o expresso no ramal Santa Cruz, ainda acabou com o ramal Deodoro. Ou seja, todo mundo espremido em um só trem que, para piorar, é parador”, criticou a usuária em rede social.

Reforço com ônibus comum

O plano de colocar 10 ônibus convencionais para reforçar a operação do BRT Transoeste foi posto em prática pelo segundo dia nesta quarta-feira (10/06). Segundo agentes da Secretaria Municipal de Transportes, o primeiro dos 10 veículos começou a circular no corredor da estação Santa Cruz às 5h30.

Às 6h10, no entanto, a estação ainda estava cheia, com uma longa fila de passageiros à espera de transporte. Os ônibus só deixavam a estação se todas as pessoas estivessem sentadas.

As linhas intermunicipais voltaram a rodar desde sábado. A Federação das Empresas de Transportes de Passageiros (Fetranspor) disse que “as empresas intermunicipais, com destino à capital, estão prontas para a retomada das operações, atendendo a todas as recomendações sanitárias estabelecidas pelas autoridades de saúde.

A Fetranspor ressalta que as empresas de ônibus estão se esforçando para repor o déficit de 75 mil rodoviários que foram afastados durante o isolamento. “Nesta primeira semana, podem acontecer problemas pontuais para o atendimento pleno das necessidades da população, caso a procura pelo transporte supere em muito as expectativas, já que é necessária a convocação extra de rodoviários para o retorno ao trabalho, a limpeza e a higienização da frota adicional e a negociação com fornecedores, além da adequação da operação em virtude da concentração de passageiros nos horários de maior movimento, da distribuição de passageiros de gratuidades ao longo do dia e da eliminação das restrições de circulação pelos municípios”.

Foto: Redes Sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.