Rodoviários do Leste Fluminense protestam por vacinação

A diretoria do Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) suspendeu a paralisação da categoria, marcada para esta segunda-feira (26/04), como reivindicação pela inclusão dos rodoviários nos grupos prioritários para vacinação contra o Covid-19.

A paralisação, prevista inicialmente para durar 24 horas, foi reduzida para o horário de pico da manhã, diante da sinalização das prefeituras de Niterói e Maricá de que acatarão o pedido da categoria pela vacinação. “Reduziremos o impacto da paralisação nas cidades diante das medidas anunciadas por Niterói e Maricá. Maricá está mais na frente, pois houve uma reunião de representantes da municipalidade com o sindicato. Por isso, a circulação de ônibus estará mantida por lá. Mas, em Niterói, estamos esperando a oficialização do que foi anunciado pelo prefeito pelas redes sociais”, explica o presidente do Sintronac, Rubens dos Santos Oliveira.

O protesto dos trabalhadores se concentrou nos terminais rodoviários João Goulart, em Niterói; Alcântara, em São Gonçalo; e Venda das Pedras, em Itaboraí.  

Número de doses necessário para imunizar a categoria é pequeno

Levantamento do Sintronac junto às empresas de ônibus dos cinco municípios revela que a vacinação desses trabalhadores não impactaria no quadro geral de imunização da população pelo pequeno número de doses necessárias para atendê-los, de acordo com o universo populacional de cada cidade. Assim, em Niterói seriam necessárias 3.443 doses para os rodoviários de 12 empresas; em São Gonçalo, 7.147 profissionais em 14 viações; em Maricá, 1.226 em uma companhia; em Itaboraí, 263, também em uma empresa; e, em Tanguá, sete vacinas para os funcionários de uma viação.

O Rio começou a vacinar motoristas de ônibus nesta segunda-feira (26/04.

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.