Taxistas podem ficar isentos de tarifa de pedágio nas vias do Rio

Os taxistas regularizados e credenciados pela prefeitura, que circulam diariamente pela Linha Amarela e Transolímpica, podem ficar isentos do pagamento desses pedágios. Isso é o que determina o projeto de lei nº 226 de autoria da vereadora Vera Lins (Progressista), presidente da Comissão de Defesa do Consumidor.

Para que a isenção seja concedida, o taxista terá que utilizar uma cabine exclusiva que será destinada pela administração da via ou pela prefeitura. O condutor deverá estar com passageiro embarcado, e ao passar, receberá um comprovante dando o prazo de 2h para que ele use novamente o pedágio com ou sem passageiro.

De acordo com a parlamentar, a finalidade é a reduzir o impacto econômico e social que vem sendo causado pela pandemia de Covid 19 sobre a categoria, já que é de responsabilidade do poder público criar condições materiais através de ações afirmativas que ajudem a população a enfrentar o momento crítico por que passa toda a sociedade.

“Hoje temos cerca de 33 mil autonomias, sem falar dos auxiliares, que estão passando por dificuldades diante da pandemia, já que perderam um número sem fim de usuários. Vale lembrar que os taxistas são na verdade os mestres de cerimônia da cidade, pois transportam milhares de turistas e visitantes”, justifica a parlamentar.

 A vereadora destaca ainda que quando os taxistas circulam com passageiros e precisam utilizar pedágios, são obrigados a repassar para os usuários, o valor das tarifas, causando muitas das vezes enorme constrangimento. A implantação dessa isenção com certeza irá gerar enorme economia para esses profissionais – explicou.

Vera argumenta que os taxistas estão sob a tutela da Secretaria Municipal de Transportes e que, amanhã eles poderão estar dependendo de assistência social, o que seria um grande infortúnio diante da sobrecarga desse órgão. “A isenção do pedágio da Linha Amarela e da Transolímpica pode ser vista como uma medida que deve ser implementada para garantir a dignidade de uma categoria que tem sua história entrelaçada com o Rio de Janeiro”, conclui.

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.