Conversão proibida e vandalismo afetam circulação do BRT

Um motociclista avançou o sinal e se chocou com um BRT, por volta das 15h desta terça-feira (21/09), na Penha. O acidente ocorreu próximo à estação Guaporé, no corredor Transcarioca, sentido Alvorada. Uma passageira do articulado teve ferimento no braço, foi atendida pelo SAMU e encaminhada ao hospital Getúlio Vargas. O motociclista fugiu do local do acidente.

Na tarde desta segunda-feira (20/09), um veículo de passeio realizou conversão proibida na Avenida das Américas, provocando um acidente com um BRT, na Barra da Tijuca. A colisão ocorreu nas proximidades da estação Parque das Rosas, sentido Jardim Oceânico. Uma passageira do BRT ficou ferida, foi atendida pelo no local e encaminhada a um hospital na Barra da Tijuca.

Só este ano, 121 articulados foram retirados de operação devido a colisões provocadas por infrações de outros motoristas nas pistas exclusivas. São avanços de sinal, conversões proibidas e invasão à canaleta. Dependendo da avaria, o BRT pode ficar de um dia a uma semana na garagem até que possa voltar a circular. O prejuízo mensal estimado com esse tipo de acidente é de cerca de R$ 80 mil.

Vandalismo provoca prejuízo

Por volta das 20h30 desta segunda-feira (20/09), um articulado teve o vidro de uma das portas quebrado e o para-brisa ficou trincado depois de ser foi atingido por pedras no corredor Transolímpica, próximo à estação Colônia, sentido Vila Militar, Não houve feridos.

Em seis meses é o sétimo BRT vandalizado no mesmo local. Segundo a Prefeitura, atos criminosos como esse geram prejuízos mensais de cerca de R$ 50 mil só com reposição de vidros. “Vandalismo é crime e afeta diretamente o trabalhador que precisa se deslocar de BRT”, diz a nota.

O BRT Rio lembra ainda que realiza campanhas permanentes em suas redes sociais, alertando para os perigos da invasão à pista exclusiva, do avanço de sinal e da conversão proibida, e reitera a conscientização necessária por parte de todos – motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres – para evitar esse tipo de acidente.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.