Alerj: Comissão de Transportes defende intervenção nos trens

Os problemas diários apresentados pela Supervia fez crescer as reclamações na Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj). Para o presidente da Comissão, deputado Dionísio Lins (Progressista), as constantes ocorrências envolvendo a Supervia demonstram apenas o descaso que a empresa tem com os milhares de usuários que dela precisam para chegar aos seus locais de trabalho e demais atividades.

“Eles só sabem falar em aumento de tarifa, mas sem se preocupar em dar um transporte de qualidade para a população, como trens e estações limpas e sem atraso das composições. Sabemos que a falta de segurança colabora para o roubo de cabos, mas essa desculpa não cola mais” – disse.

Dionísio afirma ainda, que a Comissão já denunciou ao Ministério Público estadual, a Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes (Agetransp) e a Secretaria estadual de Transportes as irregularidades cometidas diariamente pela empresa, mas que até agora nada foi feito.

“A população pede socorro, por isso acho que o governador precisa intervir imediatamente na empresa para que seja dada transparência aos usuários da verdadeira função que ela exerce”, destaca.

Supervia é multada em R$ 2,2 milhões

A Supervia alega que as interrupções do serviço, que causam os transtornos à população são consequências do furto de cabos e vandalismo. Entretanto, a empresa foi multada em R$ 2,2 milhões pela Agetransp por descumprimento da fase 1 do Plano de Investimentos da concessionária no sistema ferroviário. O Plano foi pactuado entre a operadora e o Governo do Estado no contrato de concessão em 2010.

As penalidades foram impostas devido ao atraso no cumprimento de cinco itens:

Por não ter reformado e adequado à acessibilidade 48 estações – multa de R$ 482.067,13;

Falta de modernização das subestações e revitalização da via permanente – multa de R$ 482.067,13;

Por não ter instalado o sistema de sinalização ATP em todo o sistema – multa de R$ 434.236,87;

No trecho Gramacho-Saracuruna não investiu na construção de novos pátios e na duplicação do ramal – multa de R$ 482.067,13;

No trecho Saracuruna-Guapimirim não houve substituição de dormentes, trilhos, fixação e correção geométrica, além de revitalização dos trens – multa de R$ 391.542,86.

Foto: Reprodução da internet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.