Operação flagra mais irregularidades em estações de trem

Em mais duas ações da operação Estação Segura, que visa a fiscalizar os serviços dos trens, agentes da Polícia Militar, da Secretaria de Estado de Defesa do Consumidor e do Procon-RJ percorreram estações da SuperVia, na noite de segunda-feira (11/04) e na manhã desta terça (12/04).

A Polícia Militar deu continuidade à retomada das estações consideradas perdidas para a criminalidade pela SuperVia. Em Coelho da Rocha, policiais encontraram uma granada sob os trilhos, nesta terça-feira. A área precisou ser isolada e as estações de Vila Rosali, Agostinho Porto, Coelho da Rocha e Belford Roxo tiveram as operações paralisadas para que o artefato fosse detonado pelo esquadrão especializado da Polícia Civil.

Em Senador Camará, na noite de segunda-feira, foram apreendidas 23 máquinas caça-níqueis e uma estufa com 150 pés de maconha e 12 tabletes da droga em imóveis próximos à estação. Durante a operação, foram demolidas 15 construções irregulares ao longo da linha férrea.

Na estação de Bangu, o Procon-RJ constatou problemas de acessibilidade para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção, além da ausência de piso podotátil nas plataformas, que auxiliam o deslocamento de quem tem deficiência visual. Na ação conjunta, a Secretaria de Defesa do Consumidor encontrou superlotação e atrasos das composições, além do uso indevido por parte dos homens nos vagões exclusivos para as mulheres.

“O Governo do Estado vai fazer uma fiscalização rigorosa para garantir a qualidade do serviço ao cidadão fluminense. Os passageiros da Baixada e do subúrbio não podem ficar sujeitos ao desrespeito da SuperVia”, afirmou o governador Cláudio Castro.

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.