Tarifa dos ônibus deve ser mantida em R$ 4,05 até o fim do ano

A Prefeitura do Rio aceitou conceder subsídio às empresas de ônibus para que o preço das passagens seja mantido em R$ 4,05 até o fim do ano. O valor do aporte ainda não foi definido, uma vez que o subsídio não será feito por passagem, mas sim pela quilometragem rodada pelos coletivos.
Esse foi um dos pontos do acordo discutido, durante a terceira reunião de conciliação entre o poder concedente e os empresários de ônibus, com a intermediação do Ministério Público do Estado Rio (MPRJ).
Outros pontos do acordo foram discutidos. O primeiro deles sobre a redução do prazo dos contratos de concessão de 8 para 4 anos. Já o segundo ponto, definiu que as empresas ibus e consórcios não poderão concorrer para licitação da bilhetagem eletrônica.
Uma nova reunião de conciliação foi marcada para a próxima quinta-feira (19/05) no Tribunal de Justiça, no Centro do Rio.
Por nota, a Procuradoria do Município do Rio informou que as negociações para um eventual acordo entre o município, as empresas de ônibus e o Ministério Público seguem em andamento e tiveram, na audiência de conciliação desta sexta-feira (13/05), um “significativo avanço”.
O MPRJ informou que, novamente, não houve um consenso entre os envolvidos. Por nota, o Rio Ônibus disse que: “Os consórcios continuam trabalhando nas negociações com o poder público e esperam que as próximas reuniões resultem em medidas práticas, efetivas e urgentes que possibilitem a recuperação do setor a médio prazo”.
Na última reunião, que ocorreu no início deste mês, Rio Ônibus e a Prefeitura não chegaram a um consenso. Na ocasião, de acordo com o MPRJ, os promotores de Justiça que participaram da reunião apresentaram uma proposta de caducidade do contrato de concessão de prestação do serviço.
Pela proposta apresentada, o término do contrato seria antecipado em seis anos, extinguindo-se em 2024, para viabilizar nova licitação do transporte por ônibus. Os concessionários, porém, não aceitaram essas condições e ficaram de apresentar uma contraproposta.
Rodoviários em estado de greve
Ainda sem nenhuma proposta apresentada pelas empresas de ônibus e nem pela prefeitura, os cerca de 19 mil rodoviários continuam em estado de greve enquanto aguardam julgamento pelo Tribunal Regional do Trabalho(TRT), do dissídio da categoria relativo aos anos 2020/2021 e 2021/2022. Para Sebastião José da Silva, presidente do Sindicato dos Rodoviários, a categoria está “vivendo de incertezas”.”Mais uma vez, pediram para aguardarmos até o dia 19 sobre uma posição final. Quero que fique claro que no dia 19, caso não haja uma definição, o tribunal terá que julgar a greve da categoria”, disse Silva.
Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.