CPI dos Trens: expresso Santa Cruz retorna parcialmente em julho

O presidente da Supervia, Antonio Carlos Sanchez, disse na audiência pública da CPI dos Trens, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), nesta segunda-feira (20/06), que a linha expressa do ramal Santa Cruz volta a operar parcialmente no dia 11 de julho. A volta de maneira integral, retomando a grade anterior à pandemia, acontecerá no dia 1º de agosto.

De acordo com Sanchez, a partir do dia 11 de julho, três trens partirão entre 4h10 e 4h50; do dia 25 de julho em diante sairão trens expressos nos horários de pico da manhã e da tarde, das 4h às 8h e das 17h às 20h, e a partir de 1º de agosto,  a linha volta à grade padrão.

A presidente da CPI, deputada Lucinha (PSD), comemorou o retorno das linhas expressas, que podem diminuir a duração do trajeto Central do Brasil-Santa Cruz em aproximadamente uma hora, e destacou que, com a melhora no serviço, o número de usuários diários irá aumentar.

A parlamentar solicitou a concessionária um relatório com a relação de todas as famílias que moram na linha férrea do ramal Belford Roxo, documentação que servirá de base para o relatório final da comissão.

Com relação à segurança nas estações, Sanchez disse que tem se reunido com as polícias Militar e Civil para combinar possíveis ações. O presidente da SuperVia também afirmou que as delegacias de São Cristóvão (17ª DP), Madureira (29ª DP), Bangu (34ª DP) Nova Iguaçu (52ª DP) e Campos Elíseos (70ª DP) estão recebendo os registros de ocorrência da concessionária desde o dia 6 deste mês. “As operações policiais precisam ser duradouras e efetivas nas estações dominadas pelo crime organizado”, cobrou o deputado Waldeck Carneiro, relator da CPI.

Os intervalos irregulares dos trens também foram abordados pelo relator. Waldeck lembrou que o cronograma da concessionária prevê médias de tempo de viagens que não estão sendo cumpridos nos horários de pico. As previsões são de 6 minutos em Japeri (está em 10,7), 10 minutos em Gramacho (está em 18) e 27 minutos em Belford Roxo (está em 33,5). “Isso acontece por conta das anormalidades existentes na via e devido ao furto de cabos”, disse o presidente da SuperVia.

Foto:  Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.