BRT vai operar com ônibus urbano no trecho Campo Grande-Santa Cruz

O Consórcio BRT informou que, a partir desta segunda-feira (4/6), colocará em ação um plano de contingência para operar o Corredor Transoeste, no trecho da Avenida Cesário de Melo. As 22 estações estão fechadas há dez dias devido ao vandalismo e à falta de segurança.

De acordo com o consórcio, a partir do meio-dia, a linha 5805 (Campo Grande x Santa Cruz), vai operar em paralelo ao corredor Transoeste, com ônibus urbanos saindo do terminal Campo Grande indo até Santa Cruz, próximo à estação de trem, no ponto do 870. A princípio, a linha vai circular entre 4h e 23h. O plano ficará em vigor durante a recuperação das estações que ficam neste trecho do corredor.

Na última sexta-feira (1/6), na mesma entrevista coletiva em que prometeu a retomada da circulação dos articulados na Avenida Cesário de Melo, o prefeito Marcelo Crivella afirmou que negocia com o consórcio BRT uma contrapartida ao reajuste das tarifas de ônibus. Segundo Crivella, a ideia é implantar um projeto de segurança, nos moldes do programa Segurança Presente, com investimentos de R$ 700 mil, mas até agora o prefeito não forneceu nenhum detalhe sobre o empreendimento ou data para o início da sua execução. “Queremos ter policiais e guardas municipais que possam trabalhar conosco nas suas folgas, tipo o Centro Presente, Rio+Seguro. Vamos implementar isso nos próximos dias”, anunciou o prefeito.

Na última quarta-feira, o secretário da Casa Civil do Rio, Paulo Messina denunciou que cinco estações do trecho da Avenida Cesário de Melo haviam sido dominadas pelo tráfico durante a greve dos caminhoneiros. Segundo Messina, o relato foi feito pelo diretor de operações do corredor expresso durante reunião do Centro de Operações da Prefeitura. A Polícia Militar foi acionada para fazer o patrulhamento em cada uma delas.

Segundo Crivella, quando a PM chegou, os traficantes não estavam no local, mas as estações estavam depredadas. Em nota, o consórcio informou que a equipe de infraestrutura fez um levantamento dos estragos e dos materiais e equipamentos necessários para a reabertura das estações do eixo.

Foto: Reprodução/ Redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.