Prefeitura apresenta mudanças nas linhas de ônibus do Rio

Em audiência pública da Comissão de Transportes e Trânsito, da Câmara Municipal do Rio, a secretária municipal de Transportes, Maína Celidonio, apresentou, nesta sexta-feira (17/09), 72 mudanças nos itinerários de ônibus operados pelos consórcios Santa Cruz, Transcarioca, Internorte e Intersul. Segundo a SMTR, na área do consórcio de Santa Cruz, as alterações nas linhas 801, SN803, 838 e SV866 têm como objetivo melhorar a conexão com o BRT; já na área do Internorte, as alterações da Linha 327 atendem a uma demanda da UFRJ, com melhorias do atendimento da Cidade Universitária e integração com o BRT.

No Transcarioca, uma das principais mudanças está na Linha 940, que irá melhorar o atendimento com alcance nos pontos do Carioca Shopping e Atacadão, e promoção de mais conectividade como outros modais de transporte público, como o metrô. No Intersul estão sendo feitas oito atualizações, incluindo alterações na Rua Bela, provocadas por obras de implantação do BRT Transbrasil.

A secretária disse ainda que os técnicos da pasta estão revisando os itinerários realizados pelas linhas e a frota determinada por consórcio, e identificando as linhas prioritárias. Segundo a secretária, a atualização do cadastro da rede do Sistema de Transporte Público por ônibus (SPPO) e a modernização da base de dados da Secretaria deverá ser concluída até o fim deste ano. A pasta está desenvolvendo também um sistema de localização dos coletivos online, que permitirá a aplicação de multas pelo GPS nas empresas que descumprirem intervalos e itinerários.

Maína informou também que será implementado um plano de recuperação e ampliação dos corredores de BRS, com a implantação de mais 170 quilômetros até 2024. Até o fim de 2021, um novo corredor já entraria em operação na Rua São Francisco Xavier (entre o Maracanã e a Tijuca).  De acordo com Maína, o projeto piloto de informação ao usuário por meio de QR Code no qual o usuário poderá consultar a linha e o horário que passa em determinado ponto, estará funcionando até o fim do ano.

Integrante do colegiado, o vereador Luiz Ramos Filho (PMN) questionou sobre a possibilidade de extinção de linhas. De acordo com o subsecretário de Planejamento Bernardo Serra, existem na secretaria pedidos de suspensão temporária de linhas por causa da pandemia, mas que estas estão sendo analisadas por técnicos da área.

Pandemia fez cair a demanda

De acordo com a secretária, houve uma redução de cerca de 52% da demanda em relação ao período pré-pandemia, com apenas 40% da frota em operação durante a crise. “De um total de 493 linhas, 174 ficaram inoperantes, e 212 rodaram abaixo de uma performance adequada”, contabilizou a gestora. Das linhas inoperantes, 31% são da responsabilidade do consórcio Santa Cruz, 27% do Transcarioca, 25% do Internorte e 17% do Intersul.

O presidente e o vice-presidente do colegiado, vereadores Alexandre Isquierdo (DEM) e Felipe Michel (PP), destacaram o estudo contratado pela Casa junto à Coppe/UFRJ, para fazer uma análise completa do sistema de transporte por ônibus na cidade. O trabalho vai avaliar a política tarifária e o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de prestação de serviço. “O objetivo é mergulhar nas entranhas das empresas que pedem recuperação judicial e encontrar soluções para o transporte público da cidade”, ressaltou Isquierdo. Para Michel, o estudo será estratégico. “Ele vai ajudar o Poder Executivo na tomada de decisão e resgatar o transporte público da cidade. É isso que a população espera”, concluiu.

Foto: Câmara Rio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.