Sem definição sobre dissídio, rodoviários podem parar

Os rodoviários estão sem reajuste salarial há três anos, e estão proibidos desde o início de dezembro de convocar uma assembleia dos trabalhadores para discutir o dissídio. Nessa situação complicada, o presidente do sindicato da categoria, Sebastião José, acena com a possibilidade de uma paralisação em janeiro. “Nós, rodoviários, estamos ansiosos por uma posição da Justiça em relação ao nome do relator que irá apreciar a liminar que proibiu, no início de dezembro, a realização de uma assembleia dos trabalhadores para deliberar sobre o dissídio”.

De acordo com Sebastião José, o encerramento das atividades do Judiciário sem uma definição por parte da desembargadora responsável, só fez aumentar a angústia da categoria que continua sem condições de negociar o reajuste salarial.
“Não vamos enfrentar a Justiça; pedimos apenas respeito com as milhares de famílias desses profissionais que só desejam ter garantido seus direitos”, disse.
Para Sebastião José, o que ocorre é um verdadeiro massacre contra os trabalhadores, já que a Procuradoria do Município, os empresários de ônibus e a própria Justiça Trabalhista se uniram contra a categoria, e que o sindicato, de boa-fé, acreditou na palavra inicial dos representantes do Rio Ônibus que uma proposta seria apresentada, o que não ocorreu.
“Acreditamos que poderíamos resolver essa situação com diplomacia, mas na verdade a categoria foi enganada, ludibriada, e em todos esses anos de sindicalismo jamais presenciei tal situação” afirmou.


Foto: divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.