Sindicato dos Rodoviários decide suspender a greve

O Sindicato dos Rodoviários pediu, no fim da manhã desta terça-feira (29/03), que os profissionais voltassem ao trabalho após decisão judicial, que considerou a greve decretada à meia-noite, ilegal. Durante a madrugada, em uma liminar concedida ao RioÔnibus, a desembargadora Edith Maria Correa Tourinho declarou a greve ilegal, sob pena de multa diária no valor de R$ 200 mil.

De acordo com a direção do sindicato, até o início da tarde, a circulação dos coletivos, inclusive o BRT, estará normalizada. “O Sindicato lamenta mais essa intervenção do Judiciário que favorece os patrões em detrimento do direito básico dos trabalhadores e vai entrar com o recurso cabível, porém, convoca os rodoviários a cumprir a decisão enquanto ela estiver em vigor e suspende a greve iniciada à meia-noite, em todas as empresas conforme determinado na decisão”, informou o sindicato por meio de nota.

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Sebastião José, disse esperar que, na audiência agendada para o próximo dia 4 de abril, o Tribunal Regional do Trabalho determine os percentuais de reajuste da categoria. Segundo ele, os profissionais estão há três anos sem aumento nos salários e nos valores de cesta básica.

“Só assim poderemos pôr fim ao conflito e resolver essa situação de penúria por que passam os rodoviários na cidade do Rio de Janeiro”, disse, por meio de vídeo divulgado nesta manhã.

Em nota, a Secretaria municipal de Transportes informa que “seguirá monitorando a operação e aguarda a normalização dos serviços para o período da tarde”.

Caos nos transportes

Na greve decretada à meia-noite desta terça-feira, os três corredores do BRT — Transolímpico, Transoeste e Transcarioca — pararam de funcionar, deixando os usuários com as opções do transporte alternativo e por aplicativo, que inflacionaram as tarifas.

Havia poucos coletivos de linhas normais nas ruas. Apesar de o Rio Ônibus, sindicato que representa as empresas do setor, ter informado que 60% da frota estava nas ruas no início da manhã, dados do painel da prefeitura mostravam por volta das 8h que os quatro consórcios operavam com 21% de sua capacidade. O painel usa informações de GPS dos coletivos.

O município entrou em estágio de mobilização; e a prefeitura orientou o trabalho remoto ou que as pessoas evitassem usar os outros modais da cidade nos horários de pico.

Problemas nos trens

Em função de ocorrências de sinalização, o ramal Belford Roxo opera com 30 minutos além do seu intervalo e haverá troca de composição na estação Mercadão de Madureira. Além disso, o ramal Japeri, no trecho entre Japeri e Comendador Soares, opera com intervalos médios de 20 minutos e no trecho entre Nova Iguaçu e Central do Brasil com 10 minutos.

Outros modais reforçam a operação

O MetrôRio informa que, em caso de necessidade, vai estender o horário de pico para atender a demanda da população. O Metrô na Superfície (MNS) funciona normalmente.

O  VLT afirma que opera normalmente nas linhas 1, 2 e 3 na manhã desta terça. Haverá uma extensão no horário de pico. A CCR Barcas destacou que colocou à disposição, nesta terça, barcas maiores durante o horário de pico.

Segundo a Prefeitura do Rio houve um aumento de ônibus intermunicipais que chegam à cidade. Além disso, as vans que atuam no Rio estão autorizadas a mudarem o trajeto para deixar passageiros nas estações de trens, BRTs e barcas.

Foto: Reprodução de TV

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.