Crise faz empresas de ônibus reduzirem a frota em Niterói

Os consórcios Transoceânico e TransNit, que operam 50 linhas em Niterói, reduziram a frota em circulação no município. A diminuição do número de ônibus rodando na cidade é prevista durante as férias escolares. Entretanto, o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio (Setrerj) alega  que a redução é necessária devido ao aumento de mais de 180% no valor do óleo diesel e dos três anos sem reajuste no valor da tarifa.

“Os Consórcios Transoceânico e Transnit, operadores do sistema municipal de Niterói ainda aguardam a adoção de medidas urgentes do poder público para reequilibrar e recuperar o sistema municipal, como tem ocorrido em outras cidades com ações emergenciais ou concessão de subsídios, para possibilitar o melhor atendimento aos passageiros”, diz a nota do Sindicato Patronal.

A Prefeitura disse que reforçou a fiscalização para que as concessionárias não diminuam a frota além do período estipulado, sob pena de multa em caso de descumprimento.

Sintronac denuncia empresas de ônibus

O Sindicado dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) denunciou as empresas de ônibus, além da Prefeitura, junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e ao Ministério Público do Estado (MPRJ), por causa da retirada dos ônibus, que circulavam na madrugada no Terminal João Goulart, os chamados ‘sereno’.

“As empresas alegam que a alta do diesel e a falta de reajuste tarifário têm comprometido seu faturamento e inviabilizado suas operações. Ao mesmo tempo, o poder público justifica sua inércia com um suposto projeto de reformulação do transporte em Niterói, que, no entanto, não foi apresentado para discussão entre os mais interessados, a população e os trabalhadores rodoviários. Portanto, têm responsabilidade sobre esse verdadeiro absurdo, que prejudica a todos nós”, destaca o presidente do Sintronac Rubens dos Santos Oliveira.

Desde a última segunda-feira (18/07), passageiros não encontram ônibus a partir de meia-noite no Terminal João Goulart. O problema estaria persistindo até o início da manhã. “Uma pergunta: Por que ninguém fala dos ônibus que não rodam mais de madrugada na grade sereno? Quem trabalha a noite e mora em Niterói e trabalha no Rio está sofrendo depois da uma da manhã sem ônibus”, reclamou um passageiro nas redes sociais.

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.