Protestos contra corte na educação bloqueiam vias do Centro

Milhares de manifestantes protestam no Centro do Rio, na tarde desta quarta-feira (15/05) contra os cortes na educação, realizados pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o ministro da Educação Abraham Weintraub. Os militantes se concentram na Candelária desde as 15h e às 17h vão sair em passeata até a Central do Brasil.

Por causa da manifestação, a Linha 1 do VLT circula entre Praia Formosa e Parada dos Museus ao longo da Av. Rio Branco. No momento, a Linha 2 segue com operação normal entre Praia Formosa e Praça XV.

Segundo o Centro de Operações Rio, devido ao protesto, foram interditadas a pista central da Avenida Presidente Vargas, no sentido Candelária, a partir da altura da Biblioteca Parque. O desvio do trânsito é feito para a pista lateral, onde os motoristas são direcionados para acessar a Avenida Passos. Já a pista lateral da Avenida Presidente Vargas, no sentido Candelária, está interditada depois do cruzamento com a Av. Passos.

Também estão bloqueadas ao tráfego a Rua Primeiro de Março; Avenida Presidente Vargas, no sentido Zona Norte, apenas no trecho da Candelária (as duas pistas da Av. Pres. Vargas, no sentido Zona Norte, estão liberadas a partir da altura da Av. Rio Branco); Avenida Rio Branco a partir da altura da Av. Presidente Vargas.

 Estudantes e professores também se reuniram, na manhã e tarde desta quarta-feira, em diversos pontos do estado do Rio de Janeiro para as manifestações em repúdio aos bloqueios nos institutos federais anunciados pelo presidente Bolsonaro. Há protestos em pontos do Rio, Niterói, na Região Metropolitana, e Duque de Caxias e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Além das 63 universidades geridas pelo Ministério da Educação no Brasil atualmente, as unidades de ensino fundamental e médio como o Colégio Pedro II e os IFFs de Educação em Ciência e tecnologia, também serão afetados.

Na última segunda-feira (06/05), estudantes e pais de alunos do Pedro II, Cefet, CAp-UFRJ e IF-RJ se mobilizaram em frente ao colégio militar, durante as comemorações do aniversário de 130 anos da instituição e a visita de Bolsonaro, para cobrar explicações sobre o corte e protestar contra a medida. Na última quarta-feira (09/05), alunos da Universidade Federal Fluminense (UFF) também se mobilizaram em Niterói, contra o corte de verbas.

Foto: Centro de Operações Rio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.