Barreira dificulta, mas não impede calote em Estação do BRT

O guarda-corpo metálico instalado na Estação Mato Alto, do corredor Transoeste, dificulta, mas não impede o passageiro de dar calote no BRT. O equipamento foi implantado no módulo parador, no sentido Alvorada, que opera das 4h às 9h e foi testado nesta quarta-feira (22/05). No módulo expresso, que ainda não tem o equipamento, o movimento de embarque e desembarque é o dia todo.

Os caloteiros estão entrando sem pagar pela parte de trás da estação, na pista no sentido inverso, direção Santa Cruz, ou caminham mais um pouco até o módulo expresso onde utilizam os beirais do módulo expresso não só para subir sem pagar, como também para descer da estação e cortar caminho, pelo meio da pista, até as paradas de vans e ônibus alimentadores.

A estimativa é de que 74 mil pessoas por dia viagem de BRT sem pagar. O prejuízo estimado é de R$ 5 milhões por mês, o equivalente ao preço de cinco ônibus articulados novos.

As barreiras reforçam as ações da Intervenção no BRT, que montou uma força-tarefa com órgãos da Prefeitura. O objetivo é combater o calote, o vandalismo e o comércio ilegal nas estações e terminais. Desde fevereiro, quando começaram os trabalhos, mais de 10 toneladas de lixo foram retiradas, com centenas de apreensões, multas e até prisões.

Foto: Reprodução Redes Sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.