Witzel diz que mobilidade urbana será prioridade em 2020

O governador Wilson Witzel afirmou, nesta sexta-feira (03/01), que a prioridade do seu governo em 2020 é a mobilidade urbana da Região Metropolitana. Witzel disse que já determinou a constituição de um grupo de especialistas para estudar um modelo de rearranjo da malha de transportes. “Minha proposta é entregar os detalhes em 90 dias”, disse em entrevista à Rádio CBN, ao fazer um balanço do seu primeiro ano de mandato.

Witzel informou também que as obras da estação da Gávea, da Linha 4 do metrô, serão retomadas ainda este ano. Em novembro do ano passado, uma decisão da 16ª Vara de Fazenda Pública revogou a liminar que impedia o governo de investir recursos próprios na construção. O governador, porém, não deu uma previsão de quando a obra será concluída. “É difícil dizer que (a estação) vai ser entregue no meu governo. Mas que vamos ter uma decisão este ano, nós vamos. Temos reservado o início dessa obra. Podemos gastar R$ 300 milhões. É muito dinheiro, mas é preciso fazer para evitar problemas estruturais. Só estamos vendo com as construtoras. Nem todas querem continuar no processo de construção”, explicou Witzel.

MPRJ pede retomada das obras

O Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ) ajuizou, em agosto, ação civil pública (ACP) para que o governo do estado retomasse as obras da linha 4 do metrô. O pedido se baseou no laudo técnico produzido pelo Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio) que constatou que, caso não seja retomada, a obra pode entrar em colapso. Diante dessa possibilidade, o MPRJ reapreciou o caso, levando em consideração o risco à vida de pessoas e à segurança da coletividade. Um trecho do laudo da PUC-Rio destacado pelo MPRJ, na petição inicial, revela o risco de desabamentos, interdições de vias e danos estruturais a prédios próximos às obras.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.